minientrada Entrevista a Miguel Veira e Bruno Estevez de Ana Paris (SonicBlast 2017): “Como banda portuguesa é uma responsabilidade e um prazer fazer parte de festa tão grande”.GR76


14102425_1143770015683149_2910338487900361819_nEsta é a nossa primeira publicação em Português, ea razão é a entrevista com Miguel Vieira  e Bruno Estevez  da banda Ana Paris auto definido como: stoned-psychedelic-punk-rock-mood thing.
Poderíamos entrevistar outras bandas principais, mas nós decidimos fazer algo diferente, e dar voz assim a um desses grupos menos conhecidos mas não por elo menos importante.
Ana Paris é uma banda jovem Português que em 2016 despertou o interesse de público e organização depois do seu show na warm up do Sonicblast Festival. Este ano son parte do cartaz oficial do festival e têm a difícil tarefa de abrir o segundo dia dos concertos que acontecem na piscina em um momento mais apropriado para uma sesta do que para ver um concerto. Mas eles estão ansiosos para provar que não é um problema e quem sabe se muitos de nós no final do festival terminamos descrevendo o seu show, como um dos melhores desta edição.

¿Como e onde conezaron os vosos primeiros pasos e que vos motivou a formar uma banda?

Somos de uma zona pequena de Gondomar, perto do Porto, somos amigos, que partilharam a mesma escola e onde não havia muito para fazer. Não shoppings. Não há cinemas. Não há concertos. Havia tempo e vontade de estarmos juntos e explorar o que não conhecíamos. No meio desse tempo todo, começámos a aprender em conjunto os instrumentos que tocámos hoje. A vontade de estarmos juntos mais a aprendizagem que continua até hoje, juntamente com o experimentar de influências de todos nós foram os principais motivos.

Tras escoitar o voso EP, recórdame a bandas como Kyuss e Fu Manchu. ¿Como describirías o voso som?

O som do EP captura o som que sentimos familiar entre nós e sobretudo que nos dá aquele extra kick ao tocar. Imagina um batido de alguns géneros e muitas bandas, é isso que ouves em Ana Paris. Se fosse gravado hoje, provavelmente já seria um pouco diferente!

Como o próprio titulo do EP a-Stoned-Psychedelic-Punk-Rock-Mood-Thing todos nós poderíamos dar diferentes referências pessoais dentro de tantos géneros. Mas acima de tudo o nosso som vem muito atrás do riff, do groove que encontras sem qualquer dúvida em Kyuss e Fu Manchu que fazem parte de um grande grupo de bandas que criam um click em cada um de nós, no tipo de som e atmosfera.

14063706_1143770229016461_805879372471175545_nEn 2016 tocastedes no warm up do Sonic Blast. ¿Como foi ese día?

Para nós foi uma honra arrancar com o warm up. Estava uma tarde invulgar porque havia um manto de fumo devido aos incêndios que coloriu tudo de forma diferente e que contribuiu para tornar tudo ainda mais memorável. Mas tocar as nossas músicas naquele cenário e com aquele volume e ao mesmo tempo ver crescer a quantidade de pessoas no terraço a responder de forma positiva foi importante para nós.

A vosa actuación despertou o interese do público e organización ata o punto de que este 2017 formades parte do cartel oficial. ¿ Que significa para Ana Paris ser parte do Sonicblast e como será o voso show da piscina?

Para um grupo de amigos que começou por experimentar instrumentos de forma descomprometida e passado alguns anos conseguir fazer parte da edição do Sonic Blast, com um cartaz recheado de nomes tão interessantes que jáestaríamos interessados em ouvir, é mais uma honra e como banda portuguesa é uma responsabilidade e um prazer fazer parte de festa tão grande.

Quanto a sábado, será um concerto curto mas que vamos tentar introduzir uma ou outra música nova na setlist. Vamos aproveitar para mostrar algo diferente do Warm-up do ano passado e esperar que o máximo de pessoas possam almoçar umas sandes a caminho da piscina!!!

¿Como som os concertos de Ana Paris ?

Regra geral gostamos de tocar em volumes elevados. E como seria de esperar acabamos por criar uma simbiose com o público. Acabamos por nos alimentar do feeling da sala ou do recinto. O que pode ser bom ou mau. Mas de forma inconsciente estamos no momento e gostamos que o nosso som provoque ou altere as pessoas presentes.

Antes de despedirnos. ¿Cuales son vuestros planes de futuro inmediatos y que le dirías a nuestros lectores para que no se pierdan vuestra actuación?

Dentro das nossoas limitações como pessoas que adoram tocar mas têm que manter empregos para sobreviver, estamos a experimentar novos riffs, novas músicas, novos sons dentro do circulo que temos entre nós. Seria interessante gravar mais um EP com algumas músicas que já temos e dar continuidade ao som e ao artwork que fomos construindo. Gostávamos de ter oportunidade e locais para mergulhar na estrada e mostrar o que fazemos ao maior número de pessoas posspossível.
E só podemos dizer a todos os interessados em curar a ressaca do dia anterior, para aparecer ás 13.30 na piscina e para a curarem connosco! Vamos ter a velocidade ideal para o primeiro mergulho do dia. Levem sandes, pagamos a cerveja. (oferta limitada)

Ana Paris som: Pedro Martins – Drums , Bruno Oliveira – Guitar, Miguel Vieira – Vocals , Tiago Rocha – Bass https://www.facebook.com/weareanaparis/

ESPECIAL SONICBLAST FESTIVAL 2017:https://gravelroad76.com/2017/07/28/sonic-blast-2017-11-y-12-agosto-moledo-volvera-a-ser-la-capital-del-stoner-la-psicodelia-y-del-rock-mas-tenebroso-gr76/

horariomapa2017-1

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s